Oito coisas que você precisa saber sobre a dengue

aedes_aegypti-dengue
1) O que é a dengue? É uma doença causada por um dos quatro tipos do vírus transmitido pelo mosquito Aedes aegypti (DEN-1, DEN-2, DEN-3 e DEN-4). Sua ocorrência é mais predominante em regiões tropicais, com influência direta das chuvas, altas temperaturas e urbanização irregular. O período de incubação varia de três a quinze dias, sendo mais frequente de cinco a seis dias.
2) Quais os principais sintomas da doença? A forma clássica tem sintomas muito parecidos com os da gripe: febre alta (39º a 40º) de início súbito, dor de cabeça, dor atrás dos olhos, náuseas, vômitos e dores nas costas. Em alguns casos, aparecem manchas vermelhas pelo corpo e dor abdominal generalizada, esta principalmente em crianças. A doença tem duração de cinco a sete dias, em média.
3) Como reconhecer formas graves da doença? A febre costuma diminuir ou até desaparecer entre o terceiro e o sétimo dia. É nesse período que surgem alguns sinais de que a doença evoluiu para formas graves: dor abdominal intensa e contínua, vômitos persistentes, acumulação de líquidos, sangramento de mucosas e letargia ou irritabilidade.
4) Como evitar dengue? Nenhuma vacina já foi aprovada para uso, portanto a única maneira de prevenção é o combate ao mosquito Aedes aegypti. Locais com água parada e limpa são usados como criadouros e devem ser eliminados. É indicado o uso de mosquiteiros e de repelentes (DEET, IR3535 ou Icaridin) em áreas expostas do corpo, principalmente na região das pernas e pé.
5) Como escolher o melhor repelente contra a dengue? Antes de mais nada, é fundamental verificar se o produto tem o registro da Anvisa. Depois, cheque cada uma das especificações: modo de uso, prevenção contra qual tipo de mosquito, concentração e indicações (crianças, adultos ou ambos). Os pais devem ficar atentos à concentração. Os repelentes com DEET, por exemplo, não são indicados para menores de 2 anos. Já as versões com percentual de até 10% podem ser utilizadas em crianças a partir de 2 anos de idade, enquanto aquelas com mais de 11% são contraindicadas para menores de 12 anos. Repelentes com concentração menor precisam ser repassados com mais frequência.
O DEET é uma das substâncias eficazes contra a dengue, mas há outras – como a icaridina ou a picaridina. Por isso, é mais prático checar qual o tipo de mosquito que o produto combate do que procurar por um repelente específico. Via de regra, aqueles que são bons contra pernilongos também combatem o Aedes aegypti.
6) Como identificar o Aedes aegypti? A fêmea do mosquito, que é a transmissora da doença, tem o corpo preto com listras brancas. As picadas costumam acontecer durante o dia, normalmente na região da canela e dos pés.
7) Quais os riscos de pegar dengue durante a gravidez? Como possui um sistema imunológico fragilizado, a gestante tem muito mais chances de evoluir para uma forma grave da doença. Quando o vírus é contraído no primeiro trimestre da gravidez, há alto risco de ela abortar. Se isso ocorre no último trimestre, aumentam as chances de parto prematuro. Em situações bem raras, com pouquíssimos relatos na literatura médica, o vírus pode ser transmitido para o feto, via placenta.
8) Uma mulher que esteja amamentando deve continuar a prática se contrair dengue?Sim, a doença não é transmitida para o bebê pelo leite.
* Com informações do Ministério da Saúde, da Organização Mundial de Saúde e dos médicos Rodrigo Angerami, infectologista da Unicamp e coordenador do Comitê de Doenças Emergentes, Reemergentes e Negligenciadas da Sociedade Brasileira de Infectologia, e Francisco Ivanildo de Oliveira Júnior, supervisor de equipe médica do ambulatório do Hospital Emílio Ribas.
Fonte: http://vejasp.abril.com.br/blogs/saude/2015/04/27/oito-coisas-que-voce-precisa-saber-sobre-a-dengue/?utm_source=redesabril_vejasp&utm_medium=twitter&utm_campaign=vejasp

Comentários