Grupo Especial de SP terá rei de bateria pela primeira vez na avenida

Recém-promovida ao Grupo Especial do Carnaval de São Paulo, a Acadêmicos do Tatuapé promete inovar na avenida: pela primeira vez na história dos desfiles da elite uma bateria terá um rei à sua frente, com a mesma importância da rainha. E essa responsabilidade ficará a cargo do personal trainer e professor de dança Daniel Manzione.

Daniel Manzione é o primeiro e único rei de bateria do Carnaval




"Tudo começou 2005, quando desfilei pela Tatuapé como destaque, e o presidente da Acadêmicos de São Paulo (agremiação do Grupo 3 da Uesp), Dennis Albert, me viu, gostou da minha performance e me convidou para sair como rei da escola dele", contou ele em entrevista ao UOL.



Manzione, que é membro da agremiação da Zona Leste da capital há três anos, mas já desfila há 17, revelou que no início teve de batalhar muito para conseguir seu lugar, porque "o meio do Carnaval ainda é muito machista".



"Hoje minha relação com a escola toda é muito boa, mas no início tive de ultrapassar barreiras. No Carnaval ainda existe muito machismo, e ser pioneiro em alguma coisa é sempre difícil", disse ele, que já é reconhecido pelo Guinness do Brasil como primeiro rei de bateria do Carnaval brasileiro.



Apesar de fazer a grande estrela de um desfile, a rainha, dividir seu espaço e importância, Daniel fez questão de deixar claro que não existe nenhum problema com a ocupante do posto na escola, Eliane Beretta, nem com a madrinha Viviane Rodrigues.



Divulgação



Manzione e a bateria da Acadêmicos do Tatuapé

"Tenho uma contato muito legal com elas porque eu estou ali justamente para as mulheres. A comunidade feminina gosta muito do meu trabalho. Elas também querem ver um homem na avenida e não só as mulheres. São direitos iguais (risos)", declarou.



Sobre sua primeira vez como rei no Grupo Especial, Daniel garantiu que a emoção será ainda maior, apesar do tempo de avenida.



"Será diferente porque finalmente vou ser realmente reconhecido. Estar na elite é uma outra sensação. A emoção será ainda maior porque vou estar no Sambódromo me apresentando pela primeira vez entre as grandes escolas", falou.



Em relação à fantasia, por enquanto o personal trainer só sabe que estará de acordo com as cores da batreria, em tons de dourado e branco.



"Ainda não foi definido, estamos vendo de resolver na próxima semana como será, se terá algum tipo de pintura e os maiores detalhes", disse.



Para 2013, a Acadêmicos do Tatuapé vai seguir a linha que a levou ao vice-campeonato do Acesso, quando usou a história de Leci Brandão como enredo, e homenagear outra sambista. Dessa vez, Beth Carvalho é a inspiração para que a escola siga na elite do samba paulistano.




"Tudo começou 2005, quando desfilei pela Tatuapé como destaque, e o presidente da Acadêmicos de São Paulo (agremiação do Grupo 3 da Uesp), Dennis Albert, me viu, gostou da minha performance e me convidou para sair como rei da escola dele", contou ele em entrevista ao UOL.



Manzione, que é membro da agremiação da Zona Leste da capital há três anos, mas já desfila há 17, revelou que no início teve de batalhar muito para conseguir seu lugar, porque "o meio do Carnaval ainda é muito machista".



"Hoje minha relação com a escola toda é muito boa, mas no início tive de ultrapassar barreiras. No Carnaval ainda existe muito machismo, e ser pioneiro em alguma coisa é sempre difícil", disse ele, que já é reconhecido pelo Guinness do Brasil como primeiro rei de bateria do Carnaval brasileiro.



Apesar de fazer a grande estrela de um desfile, a rainha, dividir seu espaço e importância, Daniel fez questão de deixar claro que não existe nenhum problema com a ocupante do posto na escola, Eliane Beretta, nem com a madrinha Viviane Rodrigues.




"Tenho uma contato muito legal com elas porque eu estou ali justamente para as mulheres. A comunidade feminina gosta muito do meu trabalho. Elas também querem ver um homem na avenida e não só as mulheres. São direitos iguais (risos)", declarou.



Sobre sua primeira vez como rei no Grupo Especial, Daniel garantiu que a emoção será ainda maior, apesar do tempo de avenida.



"Será diferente porque finalmente vou ser realmente reconhecido. Estar na elite é uma outra sensação. A emoção será ainda maior porque vou estar no Sambódromo me apresentando pela primeira vez entre as grandes escolas", falou.



Em relação à fantasia, por enquanto o personal trainer só sabe que estará de acordo com as cores da batreria, em tons de dourado e branco.



"Ainda não foi definido, estamos vendo de resolver na próxima semana como será, se terá algum tipo de pintura e os maiores detalhes", disse.



Para 2013, a Acadêmicos do Tatuapé vai seguir a linha que a levou ao vice-campeonato do Acesso, quando usou a história de Leci Brandão como enredo, e homenagear outra sambista. Dessa vez, Beth Carvalho é a inspiração para que a escola siga na elite do samba paulistano.

Fonte: http://carnaval.uol.com.br/2013/noticias/redacao/2012/12/21/grupo-especial-de-sp-tera-rei-de-bateria-pela-primeira-vez-na-avenida.htm

Comentários