Coronel Camilo deixa comando
da Polícia Militar de São Paulo

Desligamento ocorreu nesta segunda; Pedro Batista Lamoso assume interinamente
Do R7


coronel-camilo-GpPaduardo/Futura Press/AE
Coronel Álvaro Batista Camilo em discurdo na entrega de BCMs (Bases Comunitárias Móveis) da Polícia Militar, no vale do Anhangabaú, no final de março deste ano



A Polícia Militar informou, na tarde desta segunda-feira (2), o afastamento do coronel Álvaro Batista Camilo, que estava no comando da PM no Estado de São Paulo desde abril de 2009.
Em nota escrita pelo próprio coronel ele informa que entregou o cargo ao governador Geraldo Alckmin (PSDB) nesta tarde e agradeceu pelo que chamou de "fundamental colaboração" ao seu comando: "foi um orgulho e grande privilégio comandar uma instituição da grandeza de São Paulo".

No lugar de Camilo, segundo a assessoria da corporação, assume interinamente Pedro Batista Lamoso.
Pinheirinho
O desligamento de Camilo ocorre cerca de dois meses após o coronel ter recebido uma série de críticas pela conduta da Polícia Militar durante a desocupação da comunidade do Pinheirinho, em São José dos Campos, a 97 km de São Paulo. Em 22 de janeiro, 2.000 policiais, 220 viaturas, cem cavalos, 40 cães e 300 agentes da prefeitura participaram da operação para retirar as 1.600 famílias que moravam no local.



A ação foi criticada pelo uso excessivo de violência com o registro, inclusive, do estupro de uma jovem. Segundo testemunho da suposta vítima ao Ministério Público, diversos policiais militares invadiram a residência de sua família no dia 22 de janeiro. Um dos policiais a arrastou pelo pescoço, agredindo-a fisicamente, e teria obrigado a jovem a praticar sexo oral nele. A suposta vítima diz que os abusos, praticados por outros policiais, durou quatro horas.
O depoimento da jovem foi acompanhado pelo senador Eduardo Suplicy. Questionado após a denúncia, Camilo chegou a dizer que não acreditava no estupro, mas que o caso seria investigado.
Relembre o caso:


Comentários