Ivan Ricardo Garísio Sartori o mais jovem Presidente do Tribunal de Justiça do São Paulo

Foto de Vitor Santos


Nesta segunda-feira (2), no 5º andar do Palácio da Justiça, ocorreu a transmissão do cargo de presidente do Tribunal de Justiça do São Paulo e a posse dos cargos diretivos e de cúpula do Poder Judiciário paulista. Em sessão singela, o desembargador José Roberto Bedran transmitiu a Presidência do TJSP ao desembargador Ivan Ricardo Garísio Sartori, eleito em 7 de dezembro, com 164 votos.

Na ocasião, também assumiram os cargos o vice-presidente, desembargador José Gaspar Gonzaga Franceschini e o corregedor-geral da Justiça, desembargador José Renato Nalini. Além dos três – que ocupam os cargos de direção – também assumiram hoje os desembargadores responsáveis pelos cargos de cúpula do Tribunal. O desembargador Antonio Carlos Tristão Ribeiro preside a Seção Criminal; o desembargador Antonio José Silveira Paulilo é o responsável pela Seção de Direito Privado e o desembargador Samuel Alves de Melo Júnior, preside a Seção de Direito Público.

A cerimônia, marcada pela singeleza, teve início com a fala do desembargador Bedran. Segundo ele, “estou aqui para cumprir o honroso dever de transmitir o cargo de presidente do Tribunal de Justiça ao desembargador Ivan Sartori, eleito democraticamente e a quem cumprimento e desejo sucesso na espinhosa missão de dirigir o TJSP”. Ele estendeu os cumprimentos aos desembargadores eleitos para os cargos de direção e cúpula. “Espero que tenham, como eu tive, a colaboração de todos os demais Poderes constituídos”, disse Bedran, referindo-se ao governo do Estado e à Assembleia Legislativa. Ao desembargador Sartori, o agora ex-presidente Bedran, colocou-se à disposição para colaborar e auxiliá-lo em sua gestão, assim como ele teve, em toda a sua gestão, a colaboração dos colegas magsitrados.

“Chegou o momento de assumir o cargo de presidente do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo.” Estas foram as primeiras palavras do atual presidente do TJSP. Ivan Sartori citou alguns números para dimensionar a grandiosidade do Tribunal de Justiça, “o maior tribunal do país, com um orçamento maior do que muitos Estados”. Sartori elogiou a gestão do presidente Bedran e sua atuação no Órgão Especial. “As decisões proferidas na Corte justificam esses elogios. Vossa Excelência dirigiu o Tribunal de Justiça com galhardia e, daqui para a frente, espero que seja um conselheiro permanente. O Tribunal precisa se atualizar para acompanhar a realidade. Precisa se adequar”. Para o novo presidente, o TJSP já está no caminho das realizações. “Temos o Núcleo de Planejamento e Gestão, criado e aprovado pelo Órgão Especial. Agora, o próximo passo é a criação de uma comissão composta por magistrados que tenham perfil de administrador.”

Ivan Sartori disse que, desde que foi eleito, tem trabalhado diuturnamente, junto com seus colegas magistrados, nos dados que foram passados pela ex-presidência. “Espero contar com a colaboração dos demais Poderes, com os quais vamos batalhar juntos para melhorar as condições de trabalho dos juízes e dos nossos funcionários que, sabemos, são abnegados em seu serviço e não recebem o que deveriam para isso. Por isso, estamos perdendo servidores”. Para o presidente, “a prestação jurisdicional é um serviço de primeira necessidade, um serviço que confere cidadania. “É uma prestação de serviço à população e precisa ser eficaz. Vamos em busca dessa eficácia.” O novo presidente do TJSP finalizou com agradecimentos à sua família e às dos demais empossados, aos companheiros de cargos de direção e cúpula, colegas da magistratura, servidores, aos amigos e a Deus.

À cerimônia estiveram presentes o presidente da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, deputado Barros Munhoz; o deputado federal Gabriel Chalita; o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab; o ministro do Superior Tribunal de Justiça, Sidnei Beneti; o presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Estado, desembargador Alceu Penteado Navarro; o procurador-geral do Estado, Elival da Silva Ramos; a defensora pública geral do Estado de São Paulo, Daniela Sollberger Cembranelli; o corregedor-geral do Tribunal de Justiça Militar do Estado de São Paulo, juiz Paulo Adib Casseb, representando o presidente; o presidente da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), desembargador Henrique Nelson Calandra; o diretor da Escola Paulista da Magistratura (EPM), desembargador Armando Sérgio Prado de Toledo; o presidente da Associação Paulista de Magistrados (Apamagis) desembargador Roque Antonio Mesquita de Oliveira; o presidente da Academia Paulista de Magistrados, desembargador Heraldo de Oliveira Silva; o vice-presidente e corregedor do Tribunal Regional Eleitoral do Estado de São Paulo, desembargador Antonio Carlos Mathias Coltro; o secretário dos Negócios Jurídicos do Município de São Paulo, Cláudio Lembo; o presidente da corregedoria da Administração Geral do Estado de São Paulo, Gustavo Úngaro, representando o secretário de Estado da Casa Civil; o presidente da Associação dos Advogados de São Paulo (AASP), Arystóbulo de Oliveira Freitas; a acadêmica Lygia Fagundes Telles, membro da Academia Brasileira de Letras, representando o presidente; o presidente do Instituto dos Advogados de Santo Amaro – IASA, e 2º vice-presidente do Grupo de Apoio à Justiça desembargador Américo Izidoro Angélico; o conselheiro do Instituto dos Advogados de São Paulo, Décio Policastro, representando a presidente; o orientador do Cerimonial e Relações Públicas do Tribunal e decano da Academia Paulista de Letras, acadêmico Paulo Bomfim e o secretário executivo do Conselho de Ética do Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária, Luiz Ignácio Homem de Mello, além de desembargadores, juízes, integrantes do Ministério Público, da Ordem dos Advogados do Brasil, servidores, amigos e parentes dos empossados.

Comunicação Social TJSP – RP (texto)

Comentários