Gabriel Chalita em São Miguel Paulista

Gabriel Chalita em São Miguel Paulista., foto de Vitor Santos

Foto e reportagem de Vitor Santos

Gabriel Chalita em São Miguel Paulista ouve atentamente as reivindicações da comunidade.

Chalita falou de suas experiências na Educação, prometeu que não vai medir esforços para melhorar o ensino, sobretudo o ensino fundamental nas regiões mais pobre de São Paulo.

Nascido em 30 de abril de 1969, em Cachoeira Paulista (SP), Gabriel Chalita revelou-se como escritor já aos 12 anos, quando publicou seu primeiro livro.

Aos 15, fez uma coleção destinada a crianças em idade de catequese. Sua obra compõe-se de 54 títulos, desde livros didáticos até tratados sobre a ética e a filosofia. Entre eles: “Os dez mandamentos da ética”, “Ética do Rei Menino”, “Pedagogia do amor”, “Vivendo a filosofia”, “Pedagogia da amizade” e “Cartas entre amigos” (em parceria com o Padre Fábio de Melo).
Dos livros publicados, dois títulos já foram lançados no exterior. Contam com edições em língua estrangeira: “Os dez mandamentos da ética”, lançado em 2004 na Argentina, no Chile e na Espanha (pela Editora Aguillar/Santillana), e Pedagogia do Amor, lançado na Espanha em 2006 (pela Editora PPC/SM).
É doutor em Filosofia do Direito e em Comunicação e Semiótica; Mestre em Direito e em Ciências Sociais; graduado em Direito e em Filosofia. Foi vereador e presidente da Câmara Municipal de Cachoeira Paulista (SP), aos 19 anos, e atuou em diversas ONGs (entre elas, a Juventude Latino-Americana pela Democracia, Julad). Foi secretário da Juventude, Esporte e Lazer e secretário da Educação do Governo do Estado de São Paulo, além de presidente do Conselho Nacional de Secretários de Educação, Consed, por dois mandatos.
Toda a sua trajetória é dedicada à causa da educação. Na administração da educação pública, sempre se considerou responsável pela busca de iniciativas que permitissem a construção de soluções permanentes. Dentre outras ações exitosas, instituiu o Programa Escola da Família, um conceito de envolvimento familiar e comunitário nas escolas estaduais, mantidas abertas nos fins de semana, com atividades de recreação, saúde, esporte, arte e geração de renda.

Também implantou a Escola de Tempo Integral, iniciativa do Governo do Estado de São Paulo com o objetivo de aumentar a carga horária de aulas para alunos da rede pública, que passaram a ficar nove horas por dia na escola. Do mesmo modo, o Caminho das Artes, que leva professores e alunos a teatros, cinemas e museus, para o desenvolvimento da sensibilidade e para a ampliação do universo cultural. Entre títulos e condecorações recebidos, destacam-se: Prêmio Personalidade do Ano 2005 – Educação, conferido pela revista ISTOÉ Gente; Troféu Raça Negra 2005; Prêmio Educação Visconde de Porto Seguro 2004; Prêmio Fernando de Azevedo – Educador do Ano 2004, outorgado pela Academia Brasileira de Educação.

Atualmente, é professor dos programas de graduação e pós-graduação da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC–SP) e da Universidade Presbiteriana Mackenzie e palestrante nas áreas de filosofia, ética, relações interpessoais e educação.

É membro da Academia Brasileira de Educação e da Academia Paulista de Letras. Apresenta o programa de rádio e TV “Papo Aberto”. Foi vereador da cidade de São Paulo, tendo recebido 102.048 votos; destacou-se, assim, como o vereador mais votado do Brasil. Exerce, atualmente, seu primeiro mandato como deputado federal, pelo PSB–SP; foi eleito para o cargo com 560.022 votos, sendo o segundo mais votado do Estado de São Paulo e o terceiro do país.

Comentários